Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Have a Break With S.

Have a Break With S.

La Carretera de la Muerte, Bolívia

Depois de deixarmos Cusco, no Peru (http://haveabreakwiths.blogs.sapo.pt/um-olhar-sobre-cusco-peru-8032) seguimos para La Paz, na Bolívia... Neste post não irei falar ainda sobre a cidade, mas sim de um dos picos de adrenalina da nossa viagem!

Ainda em Portugal, tínhamos decidido que nos iríamos aventurar pela "estrada da morte" boliviana em bicicleta e decidimos fazê-lo no dia seguinte à chegada a La Paz. Também chamada Yungas Road ou Carretera de la Muerte, esta estrada ficou conhecida como uma das mais perigosas do mundo, estimando-se que na altura do seu funcionamento cerca de 200 a 300 pessoas por ano perderiam a vida na sua passagem.

 

P1030467 (1).JPG

 

Algumas imagens antigas, de "arrepiar"...

i_dos-personas-fallecen-en-la-via-a-yungas-_7544.jpg

bolivia_ (19).jpg

carretera-bolivia-1.jpg

 

Atualmente a estrada serve quase exclusivamente para fins turísticos, sendo o downhill a única atividade aceite no local, juntamente com as respetivas carrinhas de apoio. Contudo, estima-se que cerca de 18 turistas tenham aqui perdido a vida.

images.jpg

O início da estrada situa-se em La Paz e ascende até uma altitude de 4650m. Este trajecto é feito numa van, que dá o "empurrãozinho", até ao local onde preparamos as bicicletas e os equipamentos para iniciar a descida de 64 Km de extensão e 1200 m de altitude. Durante a descida é possível observar (para os mais corajosos que se arriscam a tirar os olhos da estrada) diversos tipos de paisagem, desde lagoas e zonas áridas a elevada altitude até à densa floresta em zonas mais baixas. As diferenças de temperatura entre o início do trajecto e o final também são notórias!

 

A saída de La Paz

IMG_2077.jpg

 

La Cumbre, a elevada altitude, marca o início do trajeto em bicicleta.

IMG_2072.jpg

IMG_2068.jpg

IMG_2065.jpg

IMG_2051.jpg

A parte inicial da descida é realizada em estrada de alcatrão e após alguns quilómetros começa a verdadeira "estrada da morte", em terra batida. Como se vê nas fotografias, nesta manhã havia algum nevoeiro e chuviscos, fazendo com que o terreno estivesse um pouco lamacento em algumas partes do percurso. A largura da estrada varia entre 3 e 6 metros e o truque para manter alguma estabilidade e segurança foi, no meu caso, não ir nem muito depressa, nem muito devagar.

Pelo percurso é possível encontrar diversos memoriais a vítimas de acidentes, o que tornou a experiência um pouco mórbida em alguns momentos, sobretudo com a ajuda do nevoeiro!

 

P1030355 (1).JPG

P1030354 (1).JPG

P1030349 (1).JPG

P1030382.JPG

 

Já na verdadeira carretera de la muerte...

Confesso que no início desta descida estva um pouco ansiosa, sobretudo quando me informaram que deveria circular pela esquerda (pelo lado do penhasco!), para ter melhor visibilidade e evitar as pedras que poderiam cair de cima. Após 10 minutos consegui entrar no espírito e o nervosismo inicial dissipou-se! Parece mais difícil do que se revela na realidade, acabando por ser uma experiência inesquecível, não só pelo local em que nos encontramos mas também pelo misto de emoções que consegue despertar em nós deste o ponto mais alto até à reta final! :)

P1030468 (1).JPG

P1030467 (1).JPG

P1030448 (1).JPG

P1030428 (1).JPG

P1030470 (1).JPG

 

 Já numa localização mais baixa e segura... :)

P1030600.JPG

P1030585.JPG

P1030569.JPG

P1030535.JPG

 

A chegada ao pueblito com a sensação de missão cumprida!

P1030607.JPG

 

Para que possam tambem sentir um pouco desta adrenalina, deixo aqui um vídeo do que foi possível captar durante a descida. E agora... quem ficou com vontade de se aventurar?? :)

 

 

Até ao próximo break! :)

S.

 

14 comentários

Comentar post